Um projeto de lei apresentado pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aos prefeitos do estado, gera multas pesadas para quem desperdiçar água. Com a falta de água, níveis dos reservatórios cada vez mais baixo e o desperdício, essa foi a saída encontrada para reduzir o consumo de água no estado.

Mediante a crise de abastecimento de água, medida que visa a redução do consumo de água afeta diretamente o bolso do paulistano. A multa, que deverá ser aplicada pelas prefeituras, variará de R$ 250 a R$ 1000.

Aqueles que presenciarem as irregularidades devem informar a um fiscal da prefeitura, através do telefone, meios eletrônicos ou pessoalmente. A punição não inclui pessoas que lavem o carro ou reguem o jardim, além daqueles que utilizarem água tratada em obras ou projetos de reforma.

Após a constatação de desperdício, o agente deverá concretizar a multa, que virá acompanhada de um manual de instruções sobre maneiras corretas de aproveitar a água. Caso a situação se repita, o morador deverá pagar uma quantia em dinheiro, que aumentará conforme a incidência de flagrantes, chegando a R$ 1.028,80 no quinto registro.

Como a falta de água não é um problema apenas de São Paulo, a medida pode servir de exemplo para outros estados.

Por MGGA - Equipamentos e Produtos Químicos para Tratamento de Água e Esgoto
A MGGA destaca-se em inovação quanto ao fornecimento de Estações de Tratamento de Água e Efluentes na região de Macaé, Estado do Rio de Janeiro. Oferece orientação e acompanhamento aos clientes durante toda a implantação das ETE’s (Estação de Tratamento de Efluentes) e ETA’s (Estação de Tratamento de Água), buscando sempre um atendimento de qualidade. Comercializa ainda produtos químicos para tratamento de água e efluentes, das melhores marcas e com a melhor qualidade, com preços acessíveis e negociáveis. Preza pela entrega pontual, rápida e com contínua melhoria para a satisfação dos clientes.