A Bomba Bipartida Multiestágio é indicada para bombeamento de água em estações elevatórias, condensados e água quente, alimentação de caldeiras em usinas de açúcar e álcool, indústrias de papel e celulose, indústria alimentícia, química, petroquímica. Estão disponíveis em modelos com dois ou quatro estágios.

Vazão até: 300 M³/h
Altura manométrica até: 300 m.c.a
* Outros tamanhos em fase de desenvolvimento e lançamento.

Carcaça

É bi-partida horizontalmente ao longo do eixo, o que possibilita fácil acesso ao rotor para inspeção ou manutenção, não sendo necessário tocar as tubulações de sucção e descarga. É apoiada próxima a linha de centro de modo a manter o alinhamento mesmo em elevadas temperaturas de trabalho. Possui passagens inter-estágios, os pés e os flanges de sucção e descarga são fundidos integramente com a carcaça.

Rotores e Anéis de Desgaste da Bomba Bipartida Multiestágio

Todas as bombas usam rotores fechados, de simples sucção que são montados aos pares e agrupados costa-a-costa a fim de atenuar o empuxo axial em qualquer vazão de bombeamento. Possuem anéis de desgaste substituíveis na carcaça.

Eixos e suas buchas

Os eixos foram projetados e usinados de forma a assegurar fixação firme para os rotores e rigidez capaz de proporcionar longa vida aos mancais e aos engaxetamentos. Com a finalidade de proteger os eixos contra o desgaste foram previstas as buchas protetoras, fixadas através das porcas de aperto.

Engaxetamento

As caixas de gaxetas são projetadas tanto para engaxetamento convencional através de anéis de gaxetas de secção quadrada, quanto para vedação através de Selos Mecânicos.

A caixa de vedação no lado da sucção normalmente possui um anel cadeado capaz de manter um anel líquido de selagem colhido na voluta de descarga da própria bomba, ou quando o líquido bombeado é incompatível com o sistema de selagem, através de fonte externa. Quando a pressão de sucção é superior a pressão atmosférica este componente (anel cadeado) não é utilizado.

A caixa de gaxetas no lado descarga não necessita de água de selagem e conseqüentemente do anel de selagem, pois esta caixa está sujeita a pressão de descarga do primeiro estágio.

Mancais

São montados em caixas externas à carcaça e lubrificados a óleo. O mancal externo consiste em dois rolamentos de contato angular, montados costa-a-costa, fixados axialmente através de porca e arruela de travamento. O mancal radial é de rolamentos do tipo fixo de esferas.