As Bombas Re-autoescorvantes são indicadas para saneamento, estação elevatória, tratamento de água e esgoto, construção, drenagem, indústrias têxteis e irrigação.

Vazão até: 1200 M³/h
Altura manométrica até: 60 m.c.a
Temperatura até: 80º C

Principais Características e Vantagens das Bombas Re-autoescorvantes

Projeto com a mais atual e eficiente tecnologia no bombeamento de esgoto bruto, efluentes e captação de água bruta, substitui e elimina os inconvenientes operacionais de bombas submersas (ou submersíveis) e verticais de eixo prolongado. Modelos de 1¹/²”, 2”, 3”, 4”, 6”, 8”, 10” e 12”.

Construção robusta para serviço contínuo, ficam instaladas fora do poço; dispensam o uso de válvula de pé; acionadas por motores convencionais; instalação e manutenção facilitadas, não requer Mecânico especializado, capacidades de bombear sólidos até 3″; grandes vazões: até 1.200 M3/H.

Técnicas de Construção

Bomba horizontal de único estágio de sucção horizontal e recalque vertical para cima. As linhas E/EP tem a grande vantagem que é a facilidade de limpeza através da tampa de inspeção, bem como a facilidade para a substituição do rotor e selo mecânico sem que haja a necessidade de deslocar a carcaça e/ou desconectar a tubulação.

Todo o conjunto girante pode ser retirado da bomba sem desconectar as tubulações de sucção e recalque, semelhante ao conceito back pull out.

Essa linha de bombas permite regulagem para ajuste da folga axial entre rotor e placa de desgaste, e quando for necessário, a troca da placa de desgaste, pode ser feita com muita facilidade, apenas retirando-se a tampa de inspeção, tudo isso para que a bomba possa operar no máximo rendimento para cada ponto de trabalho aplicado.

A Carcaça é fundida em uma só peça, integralmente. De um lado estão a flange de sucção e a tampa de inspeção e do lado do acionamento localiza-se o mancal.

O Mancal é lubrificado a óleo com dois pontos de apoio no eixo e rotor em balanço.

O Rotor é aberto, construído em ferro nodular ou em vários outros materiais inclusive aço inox e duplex. Admite corpos sólidos com dimensões que variam de acordo com o tamanho da bomba.

O Eixo é vedado por meio de selo mecânico lubrificado a óleo, de dupla flutuação, auto-alinhamento e com componentes de aço inoxidável, carbeto de tungstênio ou carbeto de silício.

O Flap funciona como uma válvula de retenção, confeccionado nos mais nobres materiais, reforçado com cinta metálica e tela de aço inoxidável, montado na entrada de sucção da bomba, impedindo o retorno do liquido pela tubulação de sucção quando a bomba é religada, facilitando o re-escorvamento da bomba.

Benefícios das Bombas Re-autoescorvantes

Os benefícios das bombas re-autoescorvantes estão presentes na fase de elaboração de projeto e na construção da Elevatória, isto é, simplicidade da instalação e baixos custos das obras civis.

Deve-se ressaltar, entretanto, que os maiores benefícios serão notados pelos usuários do equipamento (operadores e mecânicos de manutenção) devido à facilidade, autonomia e rapidez para a execução de eventuais reparos e com custos muito menores que os das bombas submersas ou verticais.

Características das Elevatórias Equipadas com Bombas Re-autoescorvantes

A bomba é instalada em casa de bombas estanque, sem contato com o poço de sucção. Apenas o tubo de sucção fica submerso no líquido;

O poço de sucção é condicionado apenas por requisitos hidráulicos, sendo reduzido ao essencial, portanto o volume de concreto empregado é menor que no caso das bombas submersíveis.

Bombas autoescorvantes convencionais, também chamadas de autoaspirantes, são adequadas para operar, exclusivamente, com líquidos limpos, isentos de partículas e também sem possibilidades de sedimentação, pois não têm capacidade de fazer re-escorvamento.

Na hipótese de ocorrer falha na válvula flap (na parte interna da bomba), devido a uma pequena partícula (grão de areia, por exemplo), sedimentação ou desgaste, a bomba autoescorvante convencional não terá capacidade de eliminar o ar da tubulação de sucção.